Conhecendo a Imensidão do Salar de Uyuni

O Salar de Uyuni é um daqueles lugares que você se apaixona no momento que vê a primeira foto do lugar. E foi assim com a gente!!! Sempre tivemos muita vontade de conhecer essa planície de sal com mais de 10 mil km2 de área bem na borda da cordilheira dos Andes e essa beleza da Bolívia foi visitada por nós em Abril/2016.

A maioria das pessoas conhece o Salar junto com uma viagem pelo Deserto do Atacama no Chile e as agências fazem tanto o passeio iniciando na fronteira do Chile como em Uyuni na Bolívia e você pode seguir a viagem ou retornar para o local de destino. Nós adoraríamos ter esticado pro deserto do Atacama, que deve ser incrível, julgando pelo que vimos no deserto na Bolívia, mas como só tínhamos 10 dias, optamos por fazer uma viagem completa na Bolívia, e portanto, voltamos para Uyuni e seguimos para La Paz.

Para chegar no Salar, há muitas maneiras. Vou descrever cada uma delas aqui e a que escolhemos:

1-) De avião saindo de La Paz ou de Santa Cruz de la Sierra: As duas maiores cias aéreas da Bolívia (Boa e Amaszonas) fazem esse trajeto com vôos diários. Saindo de La Paz, os preços são em média de 500 Bs (+-R$250,00 em abril/2017) e saindo de Santa Cruz de la Sierra em média 800 Bs (+- R$400,00).  Essa é a opção mais cara, mas também a mais rápida. A única coisa a se atentar aqui é com relação a altitude. Caso saia de Santa Cruz, que está a apenas 400m acima do nível do mar, é melhor passar um dia em Uyuni, nos seus 3600m, antes de começar os passeios para se climatizar. Caso já esteja climatizado em La Paz, só chegar e ir para o passeio.

2-) De ônibus saindo de La Paz: Os ônibus na Bolívia geralmente são noturnos. Esses saem de La Paz às 21h e chegam em Uyuni por volta de 7h30. A empresa mais famosa e confortável é a Todo Turismo http://www.todoturismosrl.com/ Ela oferece lanchinho e coberta e custa 250Bs, o que não é muito caro, mas ainda há empresas com menos conforto que fazem o mesmo percurso por 100 Bs (como nós tínhamos levado nossos sacos de dormir, optamos pelas mais baratas). É possível comprar o ônibus pela internet com antecedência, e caso a sua opção seja a Todo Turismo, eu te recomendo a fazer isso, porque o ônibus lota. Mas se quiser pagar um preço melhor, deixe pra resolver na hora. Tudo na Bolívia é negociável, inclusive os ônibus. Então vale a pena negociar na hora com aquele que te fizer o melhor preço. Outro ponto importante, caso essa seja a sua opção: Os passeios a saem de Uyuni as 10h, o que te permitiria chegar na cidade e já partir nesse mesmo dia, mas as agências começam a trabalhar mais ou menos esse horário, então você não terá muito tempo de negociação. Nesse caso, seria melhor já chegar com a agência em mente ou talvez, já ter fechado o passeio previamente.

3-) De ônibus saindo de Santa Cruz de La Sierra: A viagem será longa… 24h… mas mesmo as
sim, foi nossa opção. Há vôos de São Paulo direto para Santa Cruz pela Gol agora, o que torna essa opção bem econômica, os vôos para Santa Cruz não são caros e gastamos 70Bs por pessoa de Santa Cruz para Uyuni – uma pechincha. E também estávamos no clima de aventura. Mas o ônibus sai as 17h de Santa Cruz, chega as 7h mais ou menos em Sucre e as 11h se troca de ônibus em Potossí. Chega-se em Uyuni por volta das 16h-17h. As agências ficam abertas até umas 19h, o que te dá tempo tranquilo de pesquisar e negociar para fechar o passeio para o dia seguinte. Também achamos importante dormir um dia bem antes de começarmos o passeio. Então passamos essa noite tranquilamente em Uyuni.

4-) Vindo pelo Atacama: Se você já está por um tour pelo deserto do Atacama, pode já fechar o passeio pelo Salar de Uyuni. Aí o passeio será na ordem contrária, chegando no último dia no Salar e podendo ficar em Uyuni e seguia viagem pela Bolívia.

O passeio pelo Salar de Uyuni geralmente é feito em 3 dias pelas agências especializadas que ficam na rua principal de Uyuni. A cidade é pequena, então não há dificuldade em encontrá-las. Como já comentei, tudo na Bolívia é negociável, confesso que achei que era mais, mas mesmo assim, vale a pena fechar na hora e negociar o valor. Eu tinha pesquisa muito antes de viajar e tinha alguns nomes ruins e alguns bons na cabeça, para fugir dos ruins e cotar no bons. No final, eu tinha os nomes World White Travel, Thiago Tours, Andes Salt Expeditions e Cordillera Traveler. Entramos em umas 4 ou 5 que nos pareceram agradáveis e acabamos fechando com a Andes Santa Expeditions por 600 Bs por pessoa. Mas chegamos a ver preços de 900 Bs, pela Cordillera Traveler mas o guia falava inglês e dava ótimas dicas de fotos – coisas que não tivemos. Mesmo assim, recomendamos a Andes Salta Expeditions, o guia era meio fechado mas bem bacana e me ajudou muito, eu fui a única que passou mal feio com a altitude, e ele esteve sempre preocupado e me deu um chá milagroso que me fez acordar melhor no dia seguinte. O carro estava em ótimas condições e a comida era bem agradável. A única coisa é que na volta, ele quis ajudar um carro que quebrou (isso é muito comum, por isso é bom pesquisar bem e ir com agências que já se ouviu pelo menos uma boa recomendação – trip advisor ajuda muito nessas horas) e ficamos muito tempo ajudando o outro carro e ainda voltamos super lotados com os passageiros do outro carro. Mas apesar do desconforto, preciso dizer que gostei da atitude de companheirismo dele, o que me fez vir tranquila apesar de apertada rs.

O guia não falava inglês (falava espanhol e quecho, língua indígena bem comum na Bolivia) o que pra gente foi tranquilo, já que eu falo espanhol e nós brasileiros conseguimos nos entender bem com a língua espanhola, mas ficamos quase todo o caminho de intérpretes para o grupo que estava conosco. Um casal de holandeses e duas inglesas.

O passeio é todo feito em carros SUV 4×4, não tente ir sozinho pra lá. O lugar é muito inapropriado pra qualquer tipo de carro, mesmo os 4×4 , se não tiverem um ótima manutenção, não aguentam e eles precisam carregar o combustível para os 3 dias no carro, porque não há quase civilização no meio do deserto, apenas pequenas vilas com o minimo de estrutura. E a chance de se perder também é imensa. É tudo igual, não sei como os caras conseguem aprender aquele caminho.    

Todos os passeios iniciados em Uyuni, começam pelo cemitério de trens. É um local com vários esqueletos de trem no meio do deserto e rende ótimas fotos.

 

 

Dali seguimos para as “montones de sal”, que é onde as maquinas retiram o sal para venda.

Depois paramos em um estrutura no meio do deserto para almoçar e esse é o melhor momento para as fotos, porque o sol está bem no centro e não faz sombra, de modo que as famosas fotos de perspectiva no Salar ficam melhores. Tentamos algumas mais tarde mas as sombras atrapalhavam.

Nesse mesmo dia ainda se faz uma visita á “Isla del Pescador”, uma ilha no meio do salar, repleta de cactos. Lindo também.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De lá vemos o por do sol e seguimos para o primeiro alojamento – O hotel de sal.

Realmente ele é todo feito de sal e tem um estrutura melhor do que esperávamos. Já tínhamos lido muito e sempre o que se ouve é que não há conforto nenhum, então fomos esperando o pior. Esse hotel tem vários quartos duplos e relativamente confortáveis, mas o chão e as paredes e as mesas e cadeiras e tudo era de sal rs, bem legal! O banheiro é compartilhado mas por 5Bs por pessoa (que eu me lembre), nós pudemos tomar banho quente esse dia.  O jantar estavagostoso e nesse dia vimos um dos céus mais lindos de toda a vida. Sem nenhuma iluminaão por perto, com uma temperatura berando os 0°C, as estrelas estavam incríveis. A foto não revela como realmente estava.

 

No segundo dia já começamos os passeios pelas lagunas com flamingos (são 3 nos total, sendo a colorada a mais famosa) e vulcões. Foi nesse dia que acordei passando muito mal, então não conseguia andar muito, apenas um passo me cansava e vomitava e tinha diarreia esporadicamente, mas ainda assim achei tudo maravilhoso. A laguna colorada é a última e eu já estava tão fraca que, infelizmente não tive força de sair do carro pra vê-la pessoalmente, mas podem ver pela foto abaixo como ela é linda, tem essa coloração devido as algas no fundo que os flamingos se alimentam.

No fim do dia chegamos a uma reserva, já a quase 5000 m de altitude. Lá a estrutura já é mais precária. Não há energia elétrica e temos luz até as 21h com baterias de carro, mas é impossível tomar banho, a não ser que esteja disposto à água fria, e as camas tem cerca de 7 cobertas pra que seja possível suportar o frio. Como estava muito mal, cheguei e fui direto pra cama do jeito que tava e me enfiei dentro do saco de dormir e ainda coloquei as 7 cobertas por cima, a noite acordei com calor rs, mas o saco de dormir ajuda muito nessa viagem. O pessoal ficou jogando baralho ou outros jogos até a luz acabar e no dia seguinte tínhamos que sair as 4h para ver o sol nascer nos geisers.


Acordando no 3° dia, mesmo com o maior frio que já tinha passado na vida, estava me sentindo muito melhor. O trecho da reserva até chegar aos geisers parece que não acaba nunca, um frio absurdo e com sono, mas ver o sol nascer ali é bem legal e os geisers são muito lindos. Dali seguimos para a lagoa com água quente e mesmo estando ainda muito frio, muita gente entrou. Como eu ainda tava me recuperando, não quis arriscar. Dali já seguimos para a fronteira com o Chile e aí quem quer segue para São Pedro do Atacama. Nós voltamos e a volta é feita por outro caminho mais rápido, então não paramos mais, só na arvore de pedra, que foi esculpida pelo vento. Mas o caminho ainda é lindo de qualquer forma e dá pra ver muita lhama!! Elas são lindas demais S2.

O resumo da experiencia pelo Salar é de que foi INCRÍVEL!!  Acho que foi uma das melhores experiências da minha vida. Mas é fato que não é uma viagem com conforto e alguns perrengues vão acontecer e é melhor se preparar para o mal da altitude, que pode não acontecer com você mas também pode acontecer rs. Eu fui a única do meu grupo, mas não há uma regra, mas todos eles, com exceção do Guinho, já estavam viajando na altitude há algum tempo, vindo do Equador ou do Peru. A dica é mastigue muita folha de coca. Também tomamos muito chá, que é uma delícia aliás, mas o ideal é mastigar e deixar o bolinho a bochecha e não engolir, ali a absorção é bem maior. O Guinho devorou aquilo e pode ser por isso que ele tenha ficado bem a viagem inteira. É muito bom! Espero que tenham a mesma experiência!

 

Até a nossa próxima publicação!

 

 

 

 

 

18 thoughts on “Conhecendo a Imensidão do Salar de Uyuni

  • April 9, 2017 at 12:15 pm
    Permalink

    Nossa, a cada novo artigo que leio sobre este lugar mas vontade tenho de conhecer. Deve ser simplesmente fantástico.
    Abs, Marlise

  • April 9, 2017 at 3:24 pm
    Permalink

    Muito legal!! Me deu saudades da minha viagem pra lá!! É lindo demais né?? Adorei o relato de vcs… bjss

  • April 9, 2017 at 5:10 pm
    Permalink

    Essa viagem deve ter sido inesquecível para vocês né?! Para mim com certeza foi. Vale super a pena conhecer Uyuni. O deserto judia um pouco da pele e da boca, mas tá tudo certo!!

  • April 10, 2017 at 4:53 pm
    Permalink

    Caraca, que passeio mais sensacional! E esse “hotel” de sal? Inesquecível, hein? Adorei os relatos e, principalmente, as fotos. Estão demais! Beijao

  • April 11, 2017 at 11:26 am
    Permalink

    Adorei o post e as dicas. Ainda não tive a oportunidade de conhecer o salar, mas já é um sonho que me acompanha a uns 2 anos! quem sabe logo logo não sobra uns dias e consigo planejar essa trip! com certeza anotarei todas as suas dicas. Bjo

  • April 11, 2017 at 9:05 pm
    Permalink

    Nossa, você deve ter sofrido um bocado com a altitude. Eu senti um pouco no primeiro dia, mas depois fiquei tranquila. Não conheci o Yuni, mas fui até os geisers, um espetáculo da natureza!
    No dia, me lembro que sai de madrugada para chegar bem cedo aos geisers. Foi recompensador a noite mal dormida após assistir a força da agua em uma temperatura de quase 85 graus C

  • April 12, 2017 at 7:05 pm
    Permalink

    Ah sempre piro nos relatos do Uyuni! Quero muito conhecer. Como o atacama foi nossa primeira viagem internacional resolvemos não arriscar logo de primeira. Agora que estamos mais “surrados” quero muito ir. Assim que possível! Boa dica do saco de dormir!

  • April 13, 2017 at 1:31 am
    Permalink

    Nunca imaginei babar tanto por este lugar. Vcs areebentaram mas fotos e nas dicas. Nossa o lugar é muito bacana. AINDA não fizemos uma viagem internacional eles que sabem é pra esse paraíso??

  • April 13, 2017 at 1:51 am
    Permalink

    Uau que massa esse lugar né?.. confesso pra vc, que tenho medo da altitude rs.. passar mal, então evito esses lugares. Mas morro de vontade de conhecer, deve ser uma experiência incrível. Parabéns pelo relato e as fotos maravilhosas. bjss

  • April 13, 2017 at 2:58 am
    Permalink

    Esse salar é surreal de lindo. É cada paisagem maravilhosa que parecem uma pintura de tão perfeito. E o lago com os flamingos é um charme. Imagino que os perrengues não são nada comparado com essa experiência única de conhecer um lugar tão lindo. Não vejo a hora do meu dia chegar ;0
    Beijos

  • April 13, 2017 at 3:41 am
    Permalink

    Me apaixonei por esse lugar e foi com certeza o lugar que conheci as paisagens naturais mais lindas! Fomo de ônibus partindo de La paz, mesmo com o serviço melhor do oibus, com lanchinhos e tal, foi bem cansativo, mas valeu muito a pena! Infelizmente nao conhecemos a ilha dos cactos gigantes pois quando fomos estava tão alagado que não conseguimos chegar!!

  • April 13, 2017 at 4:03 am
    Permalink

    Tenho medinho do mal de altitude, confesso. To sofrendo por antecedência. hahahahah
    Ver esse seu post só me deixou ainda mais ansiosa. Não vejo a hora de ter essa experiência incrível também
    Super beijo!!

  • April 13, 2017 at 11:08 am
    Permalink

    Parabéns pelo post detalhado! Ajuda muito saber todos os detalhes e valores para nos planejarmos!
    Estou planejando um mochilão que pegue o Salar de Uyuni tb!

  • April 13, 2017 at 11:05 pm
    Permalink

    ahhh o salar voltei a menos de 12 dias e já estou morrendo de saudades, essas montagens ficam ótimas né, os alojamentos que vamos passando, amei essa minha viagem, uma experiência única!!!!

  • April 14, 2017 at 1:57 am
    Permalink

    Tenho muita vontade de conhecer o Salar e o Atacama, mas eu JURO que não sabia que as pessoas faziam esse passeio casado, nunca reparei no mapa! Seu post é um dos melhores que ja vi sobre o lugar. Parabéns!!

  • April 14, 2017 at 2:59 am
    Permalink

    Temos muita vontade de conhecer o Salar, mas teremos que esperar as crianças crescerem um pouco mais, mas adorei viajar no seu post, muitas fotos lindas e divertidas.

  • April 14, 2017 at 4:42 pm
    Permalink

    As fotos com perspectiva são as melhores!!! Adorei o post, não sabia mesmo que dava pra ir pela Bolívia, eu relacionava sempre ao Atacama. Esse ano quero ver se tiro do papel essa viagem!! Beijos
    Renata

  • April 14, 2017 at 10:46 pm
    Permalink

    Nossa!!! Muito interessante esta viagem ! As fotos ficaram muito lindas! Eu não tenho coragem de ir com medo de passar mal!! Rs

Comments are closed.